terça-feira, 4 de março de 2008

Viajantes interrompidos

É incrívelmente cansativo suportar a luta por vários dias consecutivos de felicidade. Parece que a vida quer que cresçamos como humanos, lutando diariamente contra todas as situações mais embaraçosas possíveis. Cada um de nós realmente quer viver dias incríveis, viagens fantásticas e ter histórias pra contar, e o interessante disto tudo é que mesmo com tantos sedentos de bem-aventuranças vivemos sucumbindo a um universo de indiferenças e problemas, o qual um dia te leva ao cansaço temporário pela vida.

Não imagine que isso seja mais um texto triste, mas caso você se der ao trabalho de para por um momento, e deixar suas memórias mostrarem que os dias alegres não duram tanto numa constante de tempo, acabará concientizado de que a vida persiste em nos ensinar conteúdos repetidamente, e quando exausta, nos presenteia com um pequeno descanço resultante das lições que aprendemos.
Quando dias mais radiantes voltam de suas viagens, nos damos conta do quão gostosa foi aquela gargalhada na janta do final de semana com os amigos, ou aquela situação hilária que rendeu muito pano pra manga, sentimos que viver parece ser mais do que era, e que vale a pena fazer história, mesmo que seja em um final de semana por algumas horas. O desejo pela volta de nossos "viajantes" é tão grande que às vezes até mesmo nos esforçamos por fazer durar um pouco mais sua estadia, mas quando vemos que é impossível segurá-lo, simplesmente o deixamos ser levado pela correnteza, para algum lugar que faça-nos sentir saudade. Por assim dizer, parece pouco, mas sabemos que é verdade, que gostamos dos dias de diversão, e que fazer perdurarem pelas manhãs futuras é realmente difícil.

Tentar ainda é uma solução, talvez quando uma multidão se dispuser a controlar os "viajantes do divertimento", e tomar as devidas providências para fazer de nossas vidas pessoas melhores, perderemos nossos viajantes e teremos hóspedes regulares, que não aproveitam apenas o final de semana, mas os dias mais propícios de nosso mês. Queremos viver unidos aos laços que interligam-nos uns aos outros e sentirmos bem mais do que apenas um aceno quando atravessar-mos as ruas.

Não te preocupa, hoje eu faço a janta...

5 comentários:

Ana disse...

eu concordo =)

xD

Douglas disse...

Douglas Azevedo retorna de sua épica e monótona cruzada universitária das terras desconhecidas de Santa Creuza do Sul e enquanto janta o resto do almoço, CONCORDA com o têxto de David!

Mas calma, tudo se resolve quando nos aposentamos e compramos Harley's Davidson's, gastando toda aposentadoria em gasolina e comida não-saudável. =)

KaroU x) disse...

bom... li soh por cima esse...mas as partes ke eu li, concordo^^

bjooo david

p.s.:super sem criatividade pra dexa um comentario legau!


bjoooo daviid

Vevê disse...

Oieee
gostei do blog..
dos textos postados ;]
quando quiseres que eu dê uma passadinha aqui é só avisar =]
mas vou indo nessa,
até mais
se cuida
boa noite
beijos

RafaSeixas disse...

adorei esse texto também! Quando eu li esse texto lembrei de um que eu li esses dias, que falava de duas formas de viajantes: o turista e o peregrino... e o cara dizia que pro turista, pouco importa o caminho... o tempo de viagem é um hiato, um tempo perdido, programado.... e a programação do turista é prévia: ele quer conhecer partes, enquanto o peregrino viaja porque tem um querer, busca alguma coisa, uma identidade, traz sua experiência...
Poisé.... enquanto o turista espera, o peregrino quer :)

lendo teu texto eu percebi que a viagem é uma coisa que te faz bem, certo? então viaje sempre como o peregrino: Não buscando o prazer, mas sim a alegria!! :D

Talvez o que eu tenha falado não tenha muito sentido com o que tu esperava de comentários... mas... heheheh
Abração pra ti! tudo de bom!! cuide-se ;)