sábado, 12 de julho de 2008

Where the wild things are

Algumas reviravoltas aconteceram na minha vida. Comecei a pensar sobre o que os outros falam sobre mim. Não que nunca tivesse divagado, mas às nove horas de hoje após uma ligação telefônica, iniciou-se um processo de montagem sobre o que as pessoas comentam ao meu respeito e no como fazem isso. Quando o ensino médio chegou não me restavam muitos laços anteriores. Ao longo de três anos, fiz grandes amizades e vivi bons momentos. Ultimamente após a decisão de mudar, e deixar os amigos, houveram algumas objeções. Com razão, é claro.

Ninguém vai entender porque um amigo decide se afastar. Quando comenta-se entre os outros integrantes do grupo, tenta-se aproximá-lo e fazer o possível para que aconteça. Após pouco tempo depois desiste-se, porque nos irritamos com o seguinte pensamento cada um toma suas escolhas. Eu não me canso de dizer, preciso por motivos próprios e vou transformar algumas coisas na minha vida. Nem tudo está bem, e eu tenho passado meus problemas, ah lembremos, quem estava lá pra perguntar se eu estava bem? Ah é mesmo, eu não estava lá para que alguém perguntasse. Eu não quero ser nada além de esquecido.
Esquecido por quem não dá a mínima pro meu estado de espírito ou não sente mais questão de saber como vão os meus caminhos. Se eu sou trágico, dramático e coitadinho, é problema meu, quem gostar de mim o suficiente vai continuar me prezando do jeito que eu sou. Mesmo depois de ter me tornado diferente para melhorar meu modo de viver. Ninguém tem a mínima idéia do porquê, mas vamos criticar, este é um país livre.

Eu não me importo com a opinião de quem não conhece a situação. E se eu não te deixei conhecer a tal situação é porque você não chegou a perguntar. Se perguntou e encobri, é porque me sinto desconectado de você. E a verdade é que eu mal almoço pensando em como resolver meus problemas. Então por favor, se algum ser humano quiser algo, que peça com educação. E feche a porta quando sair, afinal não lembro de alguém me ajudando a resolvê-los.

Tu já pensou em alguma maneira de resolver o problema que a gente comentou meio dia?

Um comentário:

Rodrigo disse...

certas vezes precisamos de um espaço para resolvermos nossos problemas, nessas situações só a NOSSA PRÓPRIA opinião interessa pra nós, dando a impressão de que ninguém se preocupa com a gente. Precisamos de um certo "isolamento" para ficarmos em páz conosco mesmo e após isso voltar ao convívio do grupo.

espero ter ajudado ;)
abraço Panda!