sábado, 18 de outubro de 2008

Crepúsculo comprado

E como é fácil ficar preso a cama com um livro por horas. E como é difícil ficar sentado no computador sem fazer nada por séculos. Redescobri nos últimos dias a minha paixão por livros e o bem enorme que eles me causam. Nem parece que a três dias eu iria negociar uma dívida familiar pra comprar um simples livro. Pensem outra vez. Eu fiz uma ligação, e vocês podem ter certeza, eu ainda estou sentado naquela cama, coberto pelo edredom tentando descobrir como acaba a noite daquela que se apaixonou por Edward. Nada mais do que eu faria, ainda tenho mais cinco livros. Presente do dia da criança. E como eu amo isso.

Eu estou atirado por todo lugar na verdade, no ambiente de trabalho, na vida prática, até pra lavar a louça. Não no sentido da palavras, mas por dentro. Eu me sinto atirado, como aqueles relógios derretidos no sol. Arte futurista mesmo, coisa de fora da ciência. Eu não quero jogar tudo como se fosse um jogo, mas não quero esquecer por um minuto o que eu deveria estar fazendo. Eu abri um sorriso enorme, só porque comprei um livro. Entrei na livraria, peguei-o sem ajuda, fui ao caixa, enquanto uma das atendentes vinha na minha direção. Levantei o livro e disse que era só.
Ouvi o preço, joguei a grana, peguei o livro, perguntei pelo próximo, vi a capa e me mandei. Descobre-se que logo teremos alguém fugindo de lobisomens ou talvez de algum frio, não se sabe. O que eu sei, é que eu estou revivendo os bons dias, como aqueles que eu me abraça a lembrança da história e ria com os pequenos detalhes. Eu precisava de você aqui, mas não tenho, enquanto isso, uso o livro pra relembrar as lembranças amororsas daqueles que se apaixonam sem saber por quem.

A verdade está dentro de mim, e sai pelas minhas palavras, pela minha língua. E eu só preciso descobrir como não deixar que escape pelos meus olhos. Tudo agora é felicidade, redescobrir tudo. Viver a aventura escrita mais uma vez. Sorri por causa de alguns adjetivos, e abrir a boca e suspirar por algumas revelações um tanto fantasiosas. Mesmo assim, mesmo sabendo que tudo não passa de história eu me regozijo em poder sentir a alegria de juntar-me a um grupo desconhecido que traça a mesma história. E lá vou eu, rumo a Forks.

"Sem dúvida era uma boa forma de morrer, no lugar de outra pessoas..."

Um comentário:

Leticia Dutra disse...

Uau.. ;x

Realmente ler é muito bom..
Graças a essa sua adoração por leitura que vc escreve tão bem!
Adoro ler também, mais confesso que antes eu lia mais que agora ;x
Sei la, acabo sempre arranjando outras coisas pra fazer.
Mais esse habito é muito bom! Parabens por ser assim Davi, isso é muito bom! (: