segunda-feira, 27 de julho de 2009

I tried but I can't let you go

Eu disse pra mim mesmo que te deixaria pra trás. Eu disse pra mim mesmo que este seria um mês de dez textos marcados. Eu repeti algumas vezes pra mim mesmo que não me permitiria mudar de idéia, que era tarde demais, que eu havia perdido a minha chance de escrever um final diferente pra este livro, outrora tão confuso e errante. Em algum momento algo me tocou dizendo que você não era o tipo que se dá as costas, que você não era o tipo encontrado em qualquer pedaço da vida, que você não era comum. Foi então que decidi entrar em contato, cruzar aquela linha tão surrada de riscos brancos e detalhes entalhados sobre o tempo. Eu não sabia o que te dizer, nem o que sentir, só mantive em mente que não poderia te deixar para trás.

Raramente a minha vida é mudada por uma pessoa. Eu costumo manter o conhecido e errado ego secreto, de pensar que mais ajudo as pessoas do que sou ajudado. Eu tomo por atitude ouvir, aconselhar, moldar por muitas vezes os tantos porquês, e dúvidas que os amigos me trazem, mas você me pegou de surpresa quando marcou meus dias. Não sei bem se comecei a enxergar-te como Romeu via Julieta , mas a minha vida foi mudada incompreendivelmente por sua causa. E você não tem a mínima idéia sobre como isso aconteceu. Basta saber que eu me sinto livre agora, como nunca antes.
Faziam quatro anos que eu não conseguia lembrar o quão incrível a vida era. Faziam quatro invernos que eu não conseguiria descrever tão bem quão colorido o frio pode se fazer, quando eu sei o que é viver e respirar de novo. Toda esta armadura em mim que soa forte, sábia e engraçada, não sabia ser usada antes que eu viesse a te encontrar. Porque tinha me esquecido o que é conversar com alguém sobre o que se tem vontade, e não sobre o tempo, tinha esquecido o que era liberdade, mas você me lembrou o que é isso quando decidiu voar.

Tive um sonho há alguns mêses, e um milhão de pessoas diziam que eu não iria conseguir. Todas elas com seus braços cruzados me encaravam repetindo por vezes o mesmo mantra. Eu corria desesperado em busca de solução e segurava sua mão suplicando por uma saída. Ontem eu fiz todas aquelas palavras ditas em um labirinto se calarem, quando preso a sua mão consegui o que todos eles me negavam. Engraçado pensar que tudo terminou da mesma forma que começou, de mãos dadas. Estranho ver que consegui mesmo depois de pensar ter desistido. Lá no fundo eu sabia que mesmo não querendo, meu sentimento nunca me permitiria te deixar pra trás.

"Porque quando tu fala isso me dá vontade de chorar...?"

2 comentários:

Luana disse...

Tu tá ficando bom em me fazer chorar. Não faz disso um custume.
E eu pensei que iria dormir apenas com o pensamento voltado pro meu dia, mas de repente a noite se fez muito mais importante. Como é bom me sentir dessa forma, sabendo de tudo isso e mais um pouco. Eu não sei como eu posso te agradecer pelo jeito que tu mudou a minha vida. Espero realmente que tu sinta isso quando eu olho pra ti e dou aquela risada. É a minha forma de dizer "tá tudo bem mano".
Eu não sinto como se fosse te deixar agora nem nunca. Acredito que não serão mais 4 anos esquecidos, pelo menos eu não escolho tirar alguém tão especial da minha vida assim. Se fosse possível e sem nenhuma consequencia eu te grudava em mim pra nunca mais separar.
Obrigada pelo que tu significa pra mim, e por ter afastado todos os pesadelos. Daqui pra frente serão só sonhos bons, voos sem fim e sorrisos intermináveis. Sei que mesmo de longe tu vai sentir o quanto estou bem e eu o mesmo a ti. Cara a gente é especial e isso ninguém nos tira. Agora é só um momento de divisão, pra quem sabe espalhar pra quem precisa esse sentimento bom de compreenção, de força de alegria e de liberdade. Todos merecemos.
To sempre contigo!
Luli

Anônimo disse...

Acho que devo um segundo obrigado por uma segunda change.

To andando certo denovo Davis, não vou cair mais.

Lu