segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Piadas daqueles tempos

Hoje completam-se 52 desde nossa formatura, agradecemos a muitos, abraçamos várias pessoas e despedimo-nos de grande parte delas. Eu quero falar da sensação que toma conta dos formandos-amigos que são separados pelas distâncias. Sim, a saudade.

Às vezes, eu sinto falta daquele quinteto, uma turma da qual nunca vou esquecer, diferenciada em seu modo de ser, com metas e perfis completamente diferentes, mas unidos pelas mesmas idéias. São memórias que guardaremos em nossas histórias, histórias que nos farão gargalhar por muito tempo, tempo que nunca mais será o mesmo em nossas vidas, e vidas que separadas trilharão caminhos diferentes.
São dias que não voltarão mais, em que acampávamos e ríamos até altas horas da madrugada, reuniões cujas quais faziam alguns vizinhos reclamar do barulho, e tardes que foram muito bem desperdiçadas tomando aquela Coca-cola gelada enquanto comentávamos sobre as provas. Ah, sim, como eu sinto saudade daquelas risadas, daquelas piadas, daqueles tempos, em que o mundo parecia algo tão longínquo, e nossas vidas pareciam tão simples.

Tentaremos nos mater em contato, fazer algum tipo de reunião, chamar os amigos pra jantar, e até mesmo casualmente fazer uma viagem. Queremos nos manter unidos como fomos, porque tempos alegres são experiências que procuramos a vida inteira, e pessoas como essas que os proporcionam, não são tão fáceis de serem encontradas.

E hoje, eu só sinto saudade do tempo que não volta.

Um comentário:

Duper Uper disse...

A formatura é como um filtro. É a garantia que tu irás se livrar de todo mundo que não importa e ficar apenas com a parte boa. Assim como quando se coa café. Quando a amizade vale a pena ela permanece. Talvez não tão sublime quanto era mas, porque não, ainda melhor. A saudade torna as coisas mais vivas, duper. A saudade traz mais valor àquilo que já ocupava a maior parte do nosso tempo.
:*