segunda-feira, 7 de abril de 2008

Laughters

Faz tempo que eu não fico triste, e alguma década que eu não passo por algum tipo de grande mágoa. Não que isso seja um motivo saudade. Muito longe disso. Sinto-me confortável ao dizer que a vida tem corrido como o esperado. Os dias tem nascido, (obviamente) e a cada um novas e interessantes acontecimentos tem tomado meu tempo, conscientizando-me constantemente de que se o vento calmo está, significa que uma guerra se aproxima. Me lembro que quando criança ressentia um pouco em saber sobre maus tempos, e pensava em maneiras de me esconder quando as situações difíceis aparecessem. Atitude que hoje vejo muito distante de mim. Gargalhadas têm explodido demais, balões têm voado pelo céu demais, casais tem sido felizes demais. O mundo parece estar muito bem, demais.

Me ocorre que quando eu abro a janela a noite e vejo o céu estrelado, encontro aquela imensidão azul desconhecida que tão aclamada é. Por mais tarde que possa ser ela devolve-me pressentimentos. Muitas pessoas imaginam que quando tudo está bem, é porque não irá piorar. Se enganam ao não enxergarem que deveriam estar se preparando para uma batalha maior. Eu noto que há pessoas que ainda não descobriram o quanto estão presas e cegas, que existem homens definhando por falta de conhecimento e que existem mulheres derrubando o lar com as próprias mãos. São tantos os problemas, que quando é possível sentar-se por uma hora ou duas para anotar algumas citações e escutar aquela risada particularmente linda, eu penso que o dia chegou ao seu auge. Porque aquele som me faz lembrar, que mesmo com as constantes ameaças de que tudo pode despencar, eu ainda te tenho ao meu lado todos os dias.
Gargalhadas de um timbre maduro, de uma voz suave, de uma ligação completa. Sim, eu amo aquele som, e você sabe disso. Em mim perdura o legado, a batalha, uma missão obscura atrás de um livro ofuscante. Quando chegar o dia em que enxergarmos o que combatemos, a hora em que formos usados ao princípio da sabedoria e em que eu entender o que ainda não chegou ao meu coração, poderemos erguer espadas, correr sobre os vales, e declarar guerra por completo. Rasgando leõs, pisando em escorpiões e cortando a cabeça da serpente mais profunda do oceano.

Eu não tenho medo, sei que quando as trevas nos rodearem, quando todos clamarem por socorro e eu ouvir os gritos de pavor sei que Tu estará ao meu lado. Ah quão lindo aquele dia será, com alguma certeza o mais bravo de minha vida. Sem conhecer os planos ainda posso dizer que estou aqui o tempo que for preciso, o tempo que for planejado, por quanto tempo eu viver. A guerra se aproxima e venceremos. Estamos nos preparando a cada dia, e posso dizer com certeza de que no tempo certo estaremos prontos, seremos separados e unidos o quanto antes, e ao raiar do sol do sétimo dia levantaremos as trombetas. Somos Teus, e por Ti.

De tantas gargalhadas, eu só escuto uma!

Um comentário:

Duper Uper disse...

duper e suas frases sintaticamente invertidas. x.x Algumas delas tive que ler duas vezes pra entender. xD
Mas o post é lindo. Concordo om tudo. =P
Só não entendi uma parte, mas essa eu te pergunto pessoalmente, já que tu é o meu spirit-guide. x]
sedaduas. <<<<
enormes.
=*