terça-feira, 3 de junho de 2008

How sweet the sound

Sabe, fechar os olhos um pouco antes de dormir, e pensar na vida inteira. Nos teus planos. Sabe eu tenho feito isso, eu tenho me arrependido de atitudes que não tomei. Me sinto muitas vezes triste pelo que acontece ao redor. Pelas minhas falhas. É triste ser aquilo que você não quer ser. Agradar a todo não é fácil. Ser amigo de quem você não conhece é difícil. Em suma, uma verdadeira confusão de idéias.

Agora mesmo chove lá fora, eu sentado no quarto numa decisão de ficar triste. De repente daqui em diante eu decida mudar radicalmente, pinte o cabelo de verde de uma vez por todaas. Prove pra meio mundo que não há problema nenhum. Eu não sei nem ao menos o que eu vou ser, quando eu deixar de lado os planos atuais. Às vezes eu penso, será mesmo que as coisas estã pra ser assim. Eu preciso de apoio e nem sei onde encontrar. Talvez no meu grupo. Alguns poucos. Sim são grandes parcerias. Mas o que eu quero dizer é que em certos assuntos ninguém te entende.
Em grande parte do problema, quando você fica triste como eu agora, não tem saída a não ser o tempo. É algo que invade e com o tempo te leva a pensar que nada mais vale a pena. Mesmo com tantas coisas a frente. Sabe, eu não consigo sentir mais os sentimentos antigos. Nem mais ser visto como antigamente. Eu quero abrir meu coração pra alguém que me ame o bastante pra não fazer conto de mim. Pra me entender quando eu precisar.

Eu quero ouvir aquelas palavras de conforto, aquele som tão doce que me faz esquecer dos problemas, mas eu não ouço. Eu me sinto só. Eu imagino que nada mais aqui é som. Nada é som. Nada é audível, e nada mais pode alcançar aquilo que ficou no passado. Eu só quero voltar ao que eu tinha, ao que eu ouvia. A ser o que eu era, triste é ser sujo, triste é ser perdido. Bom é ser encontrado.

Was blind but now I see...

Um comentário:

Lucas disse...

estamos ai pro que der e vier!

don't give up!