quinta-feira, 28 de agosto de 2008

Aperto no peito

Eu estou cansado, desta longa e inimaginável luta. Todos contra todos, todos contra mim, uma pressão inimaginável e milhares de rostos esperando pelo seu próximo movimento. A necessidade do momento é encontrar o que eu perdi. E até agora descobri boa parte do que eu nem sabia que existia. Eu estou farto de "eu suponho que...", "eu acho que ele deveria...", "se eu fosse ele...". Sabe, são tantas pessoas dizendo o que deveria ser feito que em alguma parte do caminho você explode e de uma maneira egoísta começa a pensar em você.

O que eu quero ser? Pra onde eu quero andar? Quem vai caminhar comigo? Será que vale a pena tudo isto mesmo? Milhares de perguntas simplesmente surgem do nada, e por mais que eu lute, por mais que eu tente, é tudo tão cheio de névoa que não consigo enxergar nada. Eu queria ver um pouco mais de esperança, alguns amigos de verdade que prefiram saber sobre as mesmas coisas que eu, alguns abraços pra espantar aquela tristeza, sei que parece triste, mas em quinze minutos esse sentimento vai passar.
Eu vou me lembrar que por mais tempestades a vida tem melhorado. E que eu estou bem da maneira que estou, porque assim escolhi. Não há escolha melhor, afinal eu descobri o caminho que quero pra minha vida. Deixei de pensar no que os outros pensam, vivo a minha maneira sem que ninguém me impeça. Eu quero conhecer quem vale a pena, e não me preocupar com o final do mês. Eu tive muitas coisas que hoje em dia nem ao menos consigo enxergar, devem estar dentro de algum baú.

Deixe me ver, me sobraram algumas memórias de quando era criança, muitos problemas imcompartilháveis, um aperto no peito, uma sensação de que por mais pessoas que estejam ao meu lado em algum momento de divagação me sentirei sozinho, e é nesse instante que reinvento meu eu, busco forças em Quem pode me ajudar e continuo caminhando. Estou farto de tantas ondas, eu só quero voltar pra casa e escutar algo que me ajude a esquecer o mundo lá fora [e toda aquela falsidade].

Eu preciso de pessoas que me ajudem e não que me usem...

Um comentário:

Leticia Dutra disse...

Todos contra todos, logo, todos contra nós!
Inveja, egoiiismo!
Duas coisas que não nos deixam seguir em frente se formos assim!
É realmente incrivel como as pessoas gostariam de ser outras, sem se dar de conta que "aquela" pessoa que gostariamos de ser passam por problemas parecidos com os nossos!
É incrivel como todo mundo pensa só em si! Se cada um agisse de uma forma que ajudace outra pessoa tb, se fizessemos as coisas juntos, sem roubos, sem mentiras, falsidades, tenho certeza que tudo seria melhor no mundo! E nós não chegariamos ao ponto de nos sentirmos "cansados" da situação que estamos vivendo, ou então morrendo de vontade de chegar em casa e ouvir algo que nos fassa sentir bem como vc sitou!
As pessoas estão estragando o mundo e as suas próprias vidas sem se dar conta, sem perceber nada!
"O que eu quero ser? Pra onde eu quero andar? Quem vai caminhar comigo? Será que vale a pena tudo isto mesmo? Milhares de perguntas simplesmente surgem do nada."
Sugem mesmo do nada, ou até da nossa curiosidade natural de saber o que vamos ser futuramente, com quem vamos estar!
São essas perguntas sem respostas. Porque por mais que a gente nos pergunte isso, nunca iremos saber o que vai realmente acontecer amanha ou daqui a dez anos! Não temos como saber quem vai caminhar conosco!
Não saberemos quem viverá até la!
Felizmente, ou infelizmente é assim a vida!

Temos como fazer planos, mais é impossivel saber se eles darão certo!