sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Old bonds were broken

Eu olhei no meio da multidão, naquele mar de faces estranhas e conhecidas, eu te conheço, eu conheço o seu rosto, ele se destaca, me atrai, me contagia, eu me sinto vivo quando posso te ver. E por mais de um momento eu te tenho. Então tome as minhas mãos, e os meus olhos, nós ainda temos tempo, eu penso comigo mesmo. Não importa se estivermos caindo devagar, porque aqui onde estamos isso não importa mais. Tão linda. Então eu te protegerei onde quer que fores, onde quer que andares, e quando os dias forem frios, você sabe que vou te abraçar. Se não houverem esperanças, eu te farei sorrir. Nós ainda temos tempo, e você tem um sorriso, o sorriso. Aquele sorriso.

Uma pessoa. Tudo que é necessário pra mudar a sua vida. Uma pessoa, duas mãos, dois olhos, um coração. Ninguém sabe onde o seu amor está escondido, e boa parte de nós busca não descobrir. Nós nos preocupávamos demais com as intrigas, com o que comer e com aqueles jogos, sim aqueles jogos, aqueles laços falsos e com todas aquelas bobagens, que me deixavam tão cansado, tão abatido. Eu não quero ouvir a sua voz, nem ao menos uma lágrima. Eu cortei meus laços vermelhos deste natal, arrumei a gaveta, limpei-a. Uma pessoa muda tudo. Uma pessoa fantástica.
Com o meu coração sóbrio eu posso ver claramente, não é apenas irracional, é descoberto, ávido, sagaz. Agora sim eu posso abraçar o que amo, sorrir o que amo, cantar para o que amo. Eu me envolvi até me afogar, e sempre soube que seria uma pedra no aquário. Laços, laços, uma caixa cheia de laços, um caixote, uma caixa enorme, laços, laços e mais laços, vermelhos, todos vermelhos, marcados com tinta vermelha. Todos cortados, acabados. Eu posso respirar, eu posso ver claramente, eu estou perto de casa, posso enxergar meu vales.

E se te amo, cada dia será maravilhoso, e cada amanhecer será promessa, e cada promessa será uma aventura, e cada aventura será incrível, e cada dia contigo será o primeiro, o único de nossas vidas, porque não é apenas, fora, apenas dentro, apenas nítido, vazio ou surdo. É completo.
Eu imaginei ser o segundo, demasiado cansado de jogos, jogos,
jogos para poder jogar. Eu nunca tive aquela garra escura para poder entrar nesta história, e os jogos, nunca foram mais que jogos. Jogos que partiam a alma, e nunca passavam de jogos. Jogos desprezíveis e atuados sentimentos.

"Falling slowly, eyes that know me, and I can't go back, moods that take me and erase me, and I'm painted black"

2 comentários:

Laurinha disse...

Olá David adivinha quem é???? Sim é aquela q não torturou civis nos porões da operação Condor, mas que já deve estar sendo vista por vc como uma especialista em métodos aterrorizantes, eu imagino quão insuportável pode estar sendo p vc ter q abrir seu blog e com um inconsolável e longo suspiro declarar:''ela comentou mais uma vez'' mas gostaria de t fazer um pedido antes de continuar um dos meus comentários que excedem as 3 linhas.Bem, já está explicito o suficiente na pagina do blog q vc não aceita comentários anônimos e que todos devem ser aceitos por vc sendo assim tomarei como base e termômetro sua reação após mais uma das declarações expostas, em mais uma madrugada onde o sono não me alcança.Se minhas manifestações já estão sendo vistas como saturadas ,terrivelmente inconvenientes ou arrepiantemente chatas, peço-te q não publique minhas linhas, verei assim como a forma mais nítida,educada e anestesiante de vc declarar ‘cala boca’!!!Creio já não ser um rosto sem forma e que a probabilidade de meu confuso nome já ter sido descoberto é bastante óbvio ..mas aspiro despejar nesse- meu talvez e mto provável- ultimo comentário a quase imperceptível porém existente crise de abstinência de manifestações q passei durante os dias q não pude escrever,tão sutil q me fez chegar ao apogeu da ansiedade e cá estou desvendando tudo q necessário p poder ao menos uma ultima vez me sentir feliz em poder dizer-te q seu ultimo texto foi estonteantemente perfeito, q suas palavras são como doce mel, independente se são tão dóceis como as proclamadas neste ultimo texto ou tão interrogativas e subliminares como a dos remanescentes ,as uniões de letras projetadas por suas mãos são tão perfeitas como as pétalas de uma margarida a desabrochar, tão delicadas como uma joaninha a voar no meio de um jardim de cheiros colossais, tão leves quanto minhas andanças em balanços.. entretanto sabem ser duras e sérias, calculáveis e determinadas é como se antagônicos se fundissem sem perder seus verdadeiros sentidos. Não quero com isso fazer-te pensar q sou uma boba tentando praticar elogios infindáveis, por favor, não tente interpretar-me, apenas tenha certeza q quando eu crescer quero escrever como você e poder quem sabe ter a honra de conhecer alguém q rasgue seus laços e me proteja do frio da vida como vc está disposto a fazer pelo sorriso da sua garota.Hoje só me resta elogiar-te, hoje só me resta dizer q não cria na existência dos shakspeares da sociedade atual até o ''open your eyes’’, hoje só me resta confessar q t admirei por muito mais q instantes e q hoje só hoje tenho coragem de reconhecer q gostaria de possuir a dignidade de viver ''cada dia como o primeiro''somente hoje...




feliz ..

Laurinha disse...

poiS é tentei incansavelmente postar o comentário na minha conta mas minha capacidade com configurações é limitada d+..embora irmãs mais novas sirvam mesmo p isso XD