sexta-feira, 24 de abril de 2009

Love you like an arsonist

Eu consegui escutar aquela voz de timbre tão agradável dizendo por repetidas vezes, come burn in me, come burn in me, come burn in me. E eu comecei em sentir em mim, algo que queria realmente queimar. Existe algo em mim, existe algo gritando dentro do meu peito dizendo que eu preciso me expor por quem amo. Há uma força que toma minha boca remoendo palavra que eu devo gritar. Me pergunto se eu consigo mantê-las onde estão, ou se o certo é corromper os lábios ao cair da noite, quando os ponteiros se unem. Amo como um incendiário, porque meu amor quero fazer queimar.

Sabe quando um pássaro voa por sobre o céu, e você nota que em algum momento ele simplesmente vai sair da sua visão, sumir, desaparecer rapidamente, em uma fração de segundo, como se houvesse alcançado de um momento para outro a velocidade do som? E por mais que você tente, esprema os olhos ou corra, sabe que não vai ver ele. Sabe que ele sumiu, e provavelmente com grande chance nunca mais o verá de novo. Agora imagine ter o pássaro ao seu lado, e saber que ele pode voar, mas tendo a certeza de que ele nunca vai te deixar. Isso é certeza, como um balanço que vai e vem.
Eu tenho me segurado tão firmemente nos últimos dias, escrevendo todos os dias a frente, eu tenho espremido dentro de mim uma vontade frenética de falar. Até que na madrugada de hoje, enquanto escrevo, enquanto escutava o, come burn in me, come burn in me, come burn in me, me dei conta de que eu não estou no controle do mundo. Eu estou no controle do que decido estar, se eu realmente estiver. Eu sou o que eu fizer, e o que eu disser, então. Não importa o que me digam, eu desconheço a falta de fé que aprofunda a afastar pessoas de mim. Eu sei que desta vez, e somente desta vez, é verdadeiro.

Eu nunca mudei tão rápido em tão pouco tempo, eu arrumei meu quarto por estar feliz, eu li um livro rapidamente por estar feliz, eu trabalho sorrindo porque estou feliz e não porque a etiqueta manda. Eu tenho três certezas neste momento. Uma é de que tudo que eu fizer vai dar certo, a outra é que desta vez é certeza, porque eu nunca senti isso antes. E a terceira é que algo vai acontecer. Eu não falo de esperar, falo de mudança geral. Não sei quanto tempo esperar, melhor não colocar minha vida em cima disso. Vai acontecer de qualquer maneira. Há algo queimando em meu coração. Incrontrolavelmente contente, com um sorriso nos lábios.

Olha essa mensagem David... "que me tira do ar..."

Um comentário:

ARCANO disse...

Uau.

Adoro o jeito que vc usa as palavras.

:)